terça-feira, 19 de março de 2019

Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra (Lendas da DC 1), Leigh Bardugo

ISBN-13: 9788580417463
ISBN-10: 8580417465
Ano: 2017
Páginas: 400
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

Sinopse: Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.
No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

sábado, 16 de março de 2019

Unboxing Turista Literário de Fevereiro (2019)

Oi oi galera!
No vídeo de hoje eu mostro para vocês os ítens que vieram na malinha de fevereiro do Turista Literário.


Comprem livros utilizando os links do Um Livro e Só:
* Submarino: https://goo.gl/bEBTjR
* Americanas.com: https://goo.gl/HN1ETK

Comprando qualquer livro utilizando os links que eu deixo na descrição dos vídeos, vocês ajudam a financiar o canal com uma parcela da sua compra. Obrigada!

quinta-feira, 14 de março de 2019

Sessão Pipoca

Capitã Marvel


Primeira informação desta crítica: sou uma grande fã dos quadrinhos, animações e filmes da Marvel. Mesmo assim eu só conheci a Capitã Marvel há pouco tempo. Até poucos anos atrás eu não fazia ideia de que a personagem existia.
Mas mesmo assim, acho que vale dizer o mesmo que eu digo a respeito do filme da Mulher-Maravilha: Já estava passando da hora de uma das super-heroínas da Marvel ganhar um filme solo! 
Achei que o primeiro seria o da Viúva-Negra, mas não foi. Vale lembrar que o filme solo dela é um dos mais esperados da fase quatro do UCM e já está confirmado. O fato é que, não importa quem foi a primeira a ter um filme solo, o que posso dizer como uma mulher que é fã de quadrinhos é que o mais legal é se sentir representada e ver que essas personagens mostram que nós mulheres não somos frágeis e não seremos submissas.
E Capitã Marvel faz isso com maestria!
O filme traz ainda mais a parte intergalática da Marvel para o UCM e se passa nos anos 90.
Carol Danvers (Brie Larson), que me arrisco a dizer que é a heroína mais poderosa do UCM atualmente, faz parte do exercito da raça Kree. Eles estão em guerra contra a raça Skrull. Os Srulls são metamorfos, ou seja, podem assumir a forma de qualquer ser vivo. Numa missão para tentar resgatar um  soldado Kree, Carol acaba caindo (literalmente) na Terra junto com alguns Skrulls. E ela não pretende deixar a Terra até encontrá-los.
Só que, por algum motivo que não entende, ela não se lembra de nada do seu passado. Ela tem alguns flashes de memória mas, no ínicio do filme ela não sabe o que significam. Mas o passado de Carol está relacionado com a guerra Srull-Kree.
Algumas críticas acharam o filme monótono, mas para um filme de origem, eu achei ele muito bom. Uma coisa que a gente precisa levar em consideração é que filmes de origens de super-heróis são monótonos se a gente comparar com as suas continuações. O filme precisa apresentar o personagem para o espectador de uma forma que o cative e que deixe a história do persongem e a trama do filme claras. No caso do Universo Cinematográfico da Marvel ainda tem um agravante que os filmes de origens dos super-heróis precisam deixar um gancho não só para suas próprias continuações mas também para os filmes gerais do UCM.
Em comparação com os filmes de origens de outros hérois da Marvel, como Capitão América e Thor, não achei Capitã Marvel nenhum pouco monótono. Ele conta a origem da persongem, insere novos elementos que podem ser abordados no UCM no futuro, tem ação, cenas engraçadas na medida certa e muito bem inseridas dentro do filme, uma trilha sonora muito boa, uma boa mistura de personagens novos e personagens que a gente já conhecia e efeitos especiais bem feitos e bem utilizados nas cenas.
Não se deixem levar por críticas negativas, assistam o filme e tenham suas próprias opiniões!
Capitã Marvel é um filme muito importante não só por ser o primeiro filme solo de uma heroína no UCM mas também pelas mensagens de superação que ele carrega.


Porque assisti esse filme: Porque queria conhecer a história da personagem já que sei pouco sobre ela e porque finalmente uma heroína ganhou um filme solo no UCM.
Diretor: Anna Boden e Ryan Fleck
Gênero: Ação, Aventura, Ficção-científica
Duração: 124 min.
Distribuidor: Walt Disney Studios
Classificação indicativa: 12 anos
Correspondeu as minhas expectativas? Muito!
Uma cena: Quando a Capitã Marvel começa a brilhar inteira e toca o terror nos inimigos.
Personagens preferidos: Capitã Marvel e Tallos.
Recomendo o filme? É óbivo que sim!
Dicas para quem for assistir:
- O filme tem uma linda homenagem a Stan Lee.
- ATENÇÃO: O filme tem duas cenas pós-créditos!
- Preste atenção na trilha sonora e nas referências dos anos 1990.

Extras:

- Vídeo do Omelete explicando quem são os Skrulls e os Krees:


- Vídeo, também do Omelete, com 10 Earster Eggs de Capitã Marvel:



- Vídeo, do Omelete, com teorias super legais sobre o futuro da Capitã Marvel no UCM:



- Trilha sonora do filme, cheia de clássicos do Rock:



"Mais alto, mais longe e mais rápido, baby!"





terça-feira, 12 de março de 2019

Corte de Asas e Ruína, Sarah J. Maas


ISBN-13: 9788501301383
ISBN-10: 8501301388
Ano: 2018
Páginas: 686
Idioma: português 
Editora: Galera Record

Sinopse: O terceiro volume da série best-seller Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da saga Trono de Vidro em “Corte de Asas e Ruína" a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, num perigoso jogo de intrigas e mentiras, a Grã-Senhora da Corte Noturna esconde seu laço de parceria e sua verdadeira lealdade. Tamlin está fazendo acordos com o invasor, Jurian recuperou suas forças e as rainhas humanas prometem se alinhar aos desejos de Hybern em troca de imortalidade. Enquanto isso Feyre e seus amigos precisam aprender em quais Grãos-Senhores confiar, e procurar aliados nos mais improváveis lugares. Porém, a Quebradora da Maldição ainda tem uma ou duas cartas na manga antes que sua ilha queime.

sábado, 9 de março de 2019

Vlog Maratona Literária 12H + 12H (5ª Edição): Lendo Mulheres

Oi oi galera!
O vídeo de hoje do canal é o vlog da quinta edição da Maratona Literária 12H + 12H.


Comprem livros utilizando os links do Um Livro e Só:
* Submarino: https://goo.gl/bEBTjR
* Americanas.com: https://goo.gl/HN1ETK

Comprando qualquer livro utilizando os links que eu deixo na descrição dos vídeos, vocês ajudam a financiar o canal com uma parcela da sua compra. Obrigada!

terça-feira, 5 de março de 2019

Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie


ISBN-13: 9788543801728
ISBN-10: 8543801729
Ano: 2014
Páginas: 63
Idioma: português 
Editora: Companhia das Letras

Sinopse: O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo.
"A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."
Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’". Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e - em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem - começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens".
Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

sábado, 2 de março de 2019

Leituras de Fevereiro (2019) + SORTEIO

Oi oi galera!
O Carnaval começou, mas o Um Livro e Só não para!
No vídeo de hoje mostrei para vocês todos os livros lidos em fevereiro.


Comprem livros utilizando os links do Um Livro e Só:
* Submarino: https://goo.gl/bEBTjR
* Americanas.com: https://goo.gl/HN1ETK

Comprando qualquer livro utilizando os links que eu deixo na descrição dos vídeos, vocês ajudam a financiar o canal com uma parcela da sua compra. Obrigada!